Caro internauta, você já deve ter passado pela experiência de, em uma conversa, o interlocutor ser “monotemático”, ou seja, só tem habilidade para tratar de um tema: tudo que toca à sua própria pessoa… em outras palavras: falar de si o tempo inteiro… se falamos dela, a conversa pode prolongar-se por muito tempo, em caso contrário, pode incurtar-se.

No entanto, para compartilharmos uma graça recebida de Deus – não colocando-se no centro – podemos comunicá-la aos outros. É até um ato de caridade e apostolado para com o próximo.

Em vista disso, comento com todos os internautas um princípio dado por um sacerdote em uma homilia, que certamente lhes poderá fazer algum bem. Dizia ele que atualmente existe uma doença que vai se tornando comum; talvez alguns já tenham ouvido falar dela. É a depressão; e segundo consta, esta doença traz como sintoma certa tristeza, baixa, pouco animo…

Qual é a cura?

Você já viu aqui, lá e acolá uma plaquinha, um aviso: “Sorria, você está sendo filmado”.

Pensemos um pouco e talvez aí encontraremos o remédio para alguns casos de depressão. Estranho, não? Mudemos o verbo final e teremos: “Sorria, você está sendo amado”.

Se a depressão, às vezes, é proveniente da questão: “ninguém pensa em mim”, e coisas do gênero, podemos propor um remédio eficaz. Em certa ocasião, escutei um amigo transmitir um comentário do Pe. Royo Marín, um teólogo espanhol: “Deus criou e sustenta tudo e, se Ele cochilasse um instante, tudo voltaria ao nada.” Ou seja, Deus continuamente pensa em todas suas criaturas, e portanto, em você, caro internauta.

Lembremo-nos deste ponto, tomemos este santo remédio: Deus pensa em nós continuamente. Não somos esquecido mas, somos amados. Sorria!

Ver Também:

Conselhos do Doutor Melífluo

Tratamento e possível cura para certos tipos de depressão

Deixe o seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: