Assim diz Santo Ambrósio

Tu, uma dentre o povo, uma da plebe, sem dúvida, uma das virgens que com o esplendor da alma iluminas a graça do teu corpo, – e por isso és uma imagem fiel da Igreja! – em teu leito, durante a noite, medita sempre em Cristo e aguarda sua chegada a todo o momento.

Eis o que  Cristo deseja de ti, eis por que te escolheu. Ele entra, já que a porta está aberta; não pode faltar, pois prometeu que viria. Abraça aquele que procuravas; aproxima-te dele e serás iluminada; segura-o, roga-lhe que não parta logo, suplica-lhe que não se afaste. Porque o Verbo de Deus corre, não se deixa deter pelo tédio ou por negligência. Que tua alma vá encontrá-lo em sua palavra; segue atentamente a doutrina celeste, porque ele passa depressa. Que diz a esposa do Cântico dos Cânticos?

Procurei-o e não o encontrei; chamei-o e não me respondeu (Ct 5,6).

Se partiu tão depressa aquele que chamaste, a quem suplicaste e a quem abriste a porta, jaó julgues ter-lhe desagradado. Muitas vezes ele permite que sejamos postos à prova. Afinal, o que disse no Evangelho às multidões que lhe pediam para não se afastar?

Eu devo anunciar a palavra também a outras cidades, porque para isso é que fui enviado (Lc 4,43).

Mas, se te parece que se afastou de ti, sai e procura-o novamente. Quem deve te ensinar como reter o Cristo, senão a santa Igreja? Ou melhor, já ensinou, se compreenderes o que lês:

Mal eu passei pelos guardas, diz, encontrei aquele que  meu coração ama; retive-o e não o deixarei partir (Ct 3,4).

Com que laços se retém o Cristo? Não é com laços de injustiça nem com nós de corda, mas com laços da caridade, com as rédeas do espírito e pelo afeto da alma.

Se queres também reter o Cristo, tenta fazê-lo e não tenhas medo dos sofrimentos. Pois, não raro, é no meio dos suplícios do corpo, nas mãos dos perseguidores, que o encontramos mais facilmente.

Mal eu passei pelos guardas, diz. De fato, num breve espaço de tempo, num instante, ao te livrares das mãos dos algozes, sem sucumbir aos poderosos do mundo, Cristo virá ao teu encontro e não mais permitirá que se prolongue o teu sofrimento.

Aquela que assim busca a Cristo e o encontra pode dizer:

Retive-o e não o deixarei partir, até que tenha introduzido na casa de minha mãe, no quarto daquela que me concebeu (Ct 3,4).

Qual é a casa de tua mãe e o quarto senão a intimidade mais profunda do teu ser?

Guarda bem esta casa, limpa todos os seus recantos. Assim, quando ela não tiver nenhuma mancha, se erguerá como morada espiritual, fundada sobra a pedra angular, para ser um sacerdócio santo, e o Espírito Santo nela habitará.

Aquela que assim busca a Cristo, que assim lhe suplica, não será por ele abandonada; ao contrário, será visitada por ele com freqüência, pois está conosco até o fim do mundo.

Do livro sobre a virgindade, de Santo Ambrósio, bispo
(Cap. 12,68.74-75; 13,77-78: PL 16 [Edit. 1845], 281.283.285-286 (Sec. IV)

Ver também:

  1. Santa Luzia, na liturgia das horas

  2. Mons. João Clá Dias

  3. O Fundador

  4. Videos do Mons. João Clá – Mensagem aos internautas

  5. Videos do Mons. João Clá – Cristo, a Igreja e o grão de mostarda

  6. Videos do Mons. João Clá – Pondo em prática a palavra de Deus

Santa Luzia, na liturgia das horas

Deixe o seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: