Auxiliando as ALMAS do PURGATÓRIO 2

Em 1859 morreu de uma apoplexia fulminante uma Irmã, chamada Teresa Gesta, que durante longos anos foi mestra de noviças. Doze dias depois, em 16 de Novembro, uma Irmã, de nome Ana Felícia subia à rouparia quando ouviu um angustioso e triste gemido:

— Jesus! Maria! Que é isto? exclamou assustada a Irmã.

Não havia acabado de falar, quando ouviu uma queixa:

Ai! Meu Deus! Meu Deus! Quanto sofro! Tende pena de mim!

Irmã Ana reconheceu logo a voz da falecida Irmã Teresa. Um cheiro sufocante de fumaça encheu toda a rouparia e percebeu-se o vulto da Irmã Teresa que se dirigia  para a porta e tocava na mesma com a mão direita, dizendo:

Aqui fica a prova da MISERICÓRDIA DE DEUS.

E na madeira da porta ficou carbonizada e impressa a mão da defunta, que desapareceu. Irmã Ana, num ataque de nervos, pôs-se a gritar freneticamente. A comunidade correu para ajudá-la e todas sentiram um cheiro sufocante de fumaça. A Irmã, então, contou o que se passara e todas reconheceram, na mão pequenina gravada no portal, a mão da Irmã Teresa, que se distinguia muito por sua pequenez e delicadeza. As Irmãs, profundamente tocadas com o acontecido, foram ao coro e rezaram pela defunta. Passaram a noite em oração e penitências em sufrágio da saudosa mestra de noviças. No dia seguinte ofereceram a Santa Comunhão por aquela alma. Passado mais um dia, Irmã Ana Felícia ouve e vê depois Irmã Teresa, fulgurante de glória, que lhe diz com voz suave:

VOU PARA A GLÓRIA! SEDE FORTES E CORAJOSAS NA LUTA CONTRA SATANÁS, FORTES EM CARREGAR A CRUZ!

E desapareceu numa luz brilhantíssima.

…………………………………………………………………………………………………………………………………

Caríssimos leitores, se algum de nós se deparasse com uma pessoa acidentada, muito ferida, e lhe prestasse socorro levando-a para um hospital, seria coisa muito boa, aliás uma obrigação moral. Lembremo-nos de que muito maior socorro necessitam as almas que se encontram no purgatório, pois muito mais terrível é seu padecimento. Portanto, temos maior obrigação de ajudá-las. Rezemos sempre por elas.

Ó Deus de bondade, de misericórdia, tende piedade das benditas almas dos fiéis, que estão sofrendo e que padecem no purgatório, aliviai as suas penas. Dai-lhes Senhor o descanso eterno, e fazei nascer para elas a Luz Perpétua. Amém.

***O Texto original e completo se encontra no livro “Tenhamos compaixão das pobres almas”.

Deixe o seu comentário.