Chegou a uma vila, numa região da França, uma professora que não acreditava em Deus. E querendo corromper as alunas, disse-lhes:

— Vamos ao ditado; escrevam! E ditou-lhes despudoradamente:

— Não existe Deus; os que creem nele são uns bobos, aos quais se deveriam pôr orelhas de burro.

Ao recolher e corrigir os ditados viu que uma das meninas escrevera:

— Eu creio que existe Deus.

— Por que escreveste isto, senhorita? Olha que te castigarei.

— Minha mãe – disse a menina – ensinou-me que existe Deus, e acrescentou que é preferível deixar-se matar a ofender a Deus, nosso Criador. Se a senhora quiser castigar-me, castigue-me; Deus e minha mãe estarão contentes comigo.

Comoveu-se a professora diante daquelas palavras pronunciadas por sua aluninha, e mais tarde converteu-se.

CASTIGUE-ME!…
Classificado como:                                                    

2 ideias sobre “CASTIGUE-ME!…

  • 26 janeiro, 2015 em 11:29
    Permalink

    Que bela história!!!
    Quanta maldade deve haver por aí… Um simples ditado de uma professora…
    Mas quão bela é a virtude: “deixar-se matar a ofender a Deus”.

    Parabéns pelo artigo!!!

    Espero poder ler outros mais!

    Resposta
    • 6 maio, 2015 em 10:27
      Permalink

      Ficamos muito contentes pela sua opinião, ela nos anima a tocarmos o apostolado com este blog. Divulgue-o a seus amigos também. Salve Maria!

      Resposta

Deixe o seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: